BLOG

Sustentabilidade corporativa: por que investir nessa estratégia?

Sustentabilidade corporativa: por que investir nessa estratégia?

O conceito de sustentabilidade engloba uma série de debates nas esferas social, econômica e ambiental, que vão desde o consumo, à forma que as pessoas se relacionam com o meio ambiente e o desenvolvimento saudável de uma sociedade.

Naturalmente, muitos desses quesitos acabam dizendo respeito às empresas, já que o consumidor, muitas vezes, prefere investir em negócios que desempenhem um bom papel nessa cadeia. É aí que nasce o conceito de sustentabilidade corporativa.

Se você se interessa pelo assunto e quer saber de que se trata esse conceito e quais são seus benefícios aplicados a uma empresa, acompanhe nosso post até o fim!

O que é sustentabilidade corporativa?

A palavra “sustentabilidade” existe há alguns séculos e já foi usada em diversos contextos no decorrer da história. Entretanto, o conceito como conhecemos – ou seja, de utilizar recursos do presente sem comprometer o futuro – foi definido em 1987, com a publicação de Nosso Futuro Comum pela ONU. 

Esse documento propunha medidas que as nações deveriam implementar a fim de promover o desenvolvimento sustentável, tornando a sustentabilidade um tema cada vez mais frequente.

A partir da década de 1990, o debate começou a caminhar para a esfera empresarial, contribuindo para o surgimento da sustentabilidade corporativa, que nada mais é que a definição da ONU, porém aplicada a negócios. 

Isso porque as empresas perceberam que os impactos causados por elas dentro das três esferas que abrangem esse contexto –  social, econômica e ambiental – poderiam ser quantificados, o que mudava sua relação com o público.

O público, aliás, tornou-se uma peça-chave, pois mostrou-se cada vez mais atento a apoiar empresas que contribuem positivamente para essa cadeia e, ao mesmo tempo, desaprovar aquelas que a prejudicavam.

Conceito de sustentabilidade migrou para a esfera empresarial graças ao debate sobre sua responsabilidade na sociedade.

Conceito de sustentabilidade migrou para a esfera empresarial graças ao debate sobre sua responsabilidade na sociedade.

Um dos grandes marcos foi a publicação do Dow Jones Sustainability Index World em 1999, um índice da bolsa de valores dos Estados Unidos que elege as empresas mais sustentáveis, ou seja, capazes de gerar lucro sem causar danos futuros. Essa avaliação continua ocorrendo todos os anos.

Já em 2013, durante a conferência Rio+20, organizada pela ONU, os líderes de 188 nações se reuniram para desenvolver os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que representam os grandes desafios da sociedade para criar um futuro mais justo e igualitário.

Dos 17 indicadores brasileiros, ao menos três se relacionam diretamente com as empresas: Trabalho decente e crescimento econômico; Indústria, inovação e infraestrutura; Consumo e produção responsáveis. 

Os demais, mesmo que não façam referência ao meio empresarial, estão ligados de diversas formas ao impacto que as companhias podem causar no desenvolvimento sustentável. 

Como implementar uma estratégia de sustentabilidade corporativa?

Se, até então, a sustentabilidade corporativa estava atrelada às empresas como diferencial, a partir da década de 2010, ela tornou-se algo indispensável. Tanto os debates a nível mundial como a percepção do público contribuíram para que essa discussão se tornasse central, como um dos principais aspectos do ponto de vista empresarial.

Há uma série de formas de adotar a sustentabilidade corporativa como uma das frentes de sua empresa. Para exemplificar, vamos dividi-las nas três esferas já citadas acima: social, econômica e ambiental.

Esfera social

Começando pelo fator social, podemos citar as iniciativas de desenvolvimento de comunidades como uma ótima estratégia. Consistem em apoiar ações sociais para beneficiar as populações locais, como investir em escolas, causas relacionadas a crianças, mulheres, pessoas em situação de rua, animais ou outros eventuais problemas do entorno. Medidas mais simples também incluem a criação de pontos de coleta de recicláveis ou lixo eletrônico.

O apoio ao desenvolvimento de comunidades é uma estratégia social de sustentabilidade corporativa. 

O apoio ao desenvolvimento de comunidades é uma estratégia social de sustentabilidade corporativa. 

Esfera econômica

No âmbito econômico, toda empresa pode começar cumprindo suas funções fiscais com colaboradores, fornecedores e clientes, bem como as leis e obrigações ambientais. Essa é uma forma de investir recursos ativamente no desenvolvimento da sociedade.

Além disso, trazer os clientes para o funcionamento do negócio é uma forma de inseri-los em sua cadeia econômica. Portanto, prontifique-se a atender eventuais dúvidas e críticas, analisando situações sob o ponto de vista do seu público. Sempre que possível, envolva-os na formulação de produtos/serviços, considerando ativamente suas opiniões.

Esfera ambiental

Por fim, ambientalmente, é necessário que a empresa pense na forma que utiliza os recursos naturais e em maneiras de diminuir os impactos, caso esse uso seja necessário. Isso inclui, novamente, questões relacionadas à reciclagem e ao descarte correto de resíduos, bem como a utilização de fontes renováveis.

Os benefícios da sustentabilidade corporativa 

A presença desses debates em uma empresa, por si só, já é um grande benefício, pois são uma forma de mostrar-se ao público como uma companhia que se importa com questões essenciais à sociedade.

De acordo com pesquisa da Union + Webster, 87% dos consumidores brasileiros preferem comprar de empresas sustentáveis. O mesmo estudo também registrou que 70% não se importam de pagar a mais por isso, o que demonstra o peso que essa questão tem na decisão de compra. 

Mas é importante tomar cuidado, pois manter questões de sustentabilidade só como discurso e “marketing verde” (fenômeno conhecido como greenwashing), sem aplicar ações práticas, pode causar nos consumidores um efeito contrário, e arruinando a reputação da empresa.

Além disso, ao incentivar os colaboradores ou investir em comunidades locais, sua companhia pode colher frutos no decorrer do processo, pois isso melhora a qualidade de vida daquela população e também da mão de obra e do capital intelectual.

Tome cuidado! Utilizar estratégias sustentáveis como marketing pode causar o efeito contrário no público.

Ecologicamente, o benefício não pode ser visto – e isso é positivo. Como a ideia central da sustentabilidade é não comprometer o futuro, fazer sua parte hoje como empresa é um investimento a longo prazo e que as gerações futuras poderão desfrutar.

Se sua empresa – independentemente do tamanho – ainda não adotou medidas de sustentabilidade corporativa, é importantíssimo que isso seja feito o quanto antes! Comece estudando de que forma o seu negócio pode adotar atitudes diárias para minimizar seus efeitos na sociedade, bem como as necessidades da cadeia em que ela está inserida. Isso certamente resultará em uma série de benefícios, sejam eles a curto, longo ou médio prazo. 

Espaços de coworking e sustentabilidade 

Por muito tempo, a única maneira de se adquirir um espaço de trabalho era montando seu próprio escritório. Porém, com o avanço das cidades e dos centros comerciais, esse processo foi ficando cada vez mais caro e inviável, do ponto de vista sustentável.

Explicamos: supondo que quatro empresas têm escritórios particulares em um mesmo bairro de São Paulo. Cada imóvel consome água e energia, além de utilizar mais recursos naturais (como materiais de construção, matéria-prima para o mobiliário) e produzir seu próprio resíduo.

Não seria mais vantajoso para o planeta se todos dividissem um mesmo espaço naquele bairro? Dessa forma, além de gerar uma economia de dinheiro, os impactos ambientais passariam a ser consideravelmente menores.

Os espaços de coworking estão alinhados a essa estratégia sustentável chamada economia colaborativa, que tem como principal característica o compartilhamento. Dessa forma, é possível poupar dinheiro, recursos naturais e aproveitar melhor os espaços urbanos.

Além disso, nesse modelo, também há um maior senso de comunidade. Como nenhuma das pessoas que está trabalhando é dona do espaço, há um juízo de cooperação em cuidar do ambiente comum. Ao mesmo tempo, todos podem se ajudar e cuidar uns dos outros por meio do networking, trocando experiências e construindo conhecimento coletivo.

Portanto, quando falamos sobre medidas de sustentabilidade corporativa, o simples fato optar por um coworking ou espaço flexível em detrimento de ter um escritório próprio é capaz de causar consequências muito positivas ao meio em que vivemos.


A Delta Business Coworking oferece uma série de espaços com soluções diferentes para cada tipo de empresa. Para saber mais sobre nossos serviços, clique no banner abaixo!