ARTIGOS

Coworkings: o tipo de espaço que só cresce

Coworkings: o tipo de espaço que só cresce

No Censo de Coworkings 2019, ficou comprovado, de forma definitiva, o potencial de crescimento dos coworkings, especialmente ao analisar os dados dos últimos anos. Em 2015, existiam, no Brasil, apenas 238 unidades. No ano seguinte, evidenciou-se que esse modelo de negócios tinha vindo para ficar, já que o número de estabelecimentos apresentou uma evolução de 52%, passando a haver, assim, 378 unidades conhecidas. 

Entretanto, o salto principal ocorreu, principalmente, entre os anos de 2016 e 2017, quando o quantitativo chegou a 810 coworkings, com crescimento de 114%. 2018, por sua vez, também não ficou para trás, ano em que o número de unidades chegou a 1194, e o percentual de crescimento foi de 25%, mesmo em cenário de crise. Atualmente, em 2019, o quantitativo chega a 1497 unidades, 25% a mais do que o ano anterior, quando existiam 1194 espaços conhecidos. 

No censo deste ano, os cinco estados vencedores, em número de estabelecimentos, foram, respetivamente: São Paulo (663 unidades); Rio de Janeiro (129); Minas Gerais (112); Rio Grande do Sul (97) e Santa Catarina (90). O tipo de negócio está concentrado, então, na Região Sudeste e Sul, havendo, nesse sentido, o mesmo potencial de expansão em outras regiões, especialmente ao se considerar o histórico dos resultados apresentado por esse tipo de negócio. Neste ano, por exemplo, o lucro anual médio, do Brasil, foi de 107 mil reais, 24% a mais que no ano anterior, que sentiu a crise e apresentou um decréscimo de 4%, em relação a 2018.

O censo também evidencia que, atualmente, 65% dos coworkings estão concentrados em cidades nas quais existem mais de 1 milhão de habitantes. Dessa forma, o número de estabelecimentos pode ampliar ainda mais no futuro, especialmente em cidades médias, nas quais existe uma porcentagem relevante de pequenos e médios negócios, a modalidade preferida pelos clientes de coworking. De acordo com o estudo, 35% das empresas que frequentam coworkings possuem até 3 pessoas; seguidas pelas de 3 a 6 pessoas (24%); e empreendedores individuais (15%). O censo, assim, ilustra o que a Delta já sabia: coworkings são os espaços de trabalho do futuro e só têm tendência a crescer.

Gostou do nosso artigo? Aproveite e leia também:

- Dicas para diminuir os custos administrativos e operacionais da sua empresa